• Escolas no campo já! Crianças vão ao MEC lutar por educação e contra o fechamento de escolas do campo

    Date: 2011.08.25 | Category: CECMundoRural | Tags: ,,,,,,

    No início da tarde desta quinta-feira (25), dezenas de crianças, que vieram à Brasília para o Acampamento Nacional da Via Campesina, se dirigiram ao Ministério da Educação (MEC) para exigir melhorias na educação do campo.

    Carregando cartazes que denunciavam o fechamento de escolas e os elevados índices de analfabetismo rural, as crianças, acompanhadas por seus responsáveis, ficaram na porta do MEC esperando a audiência da Via Campesina com o órgão.

    “Nos últimos oito anos foram fechadas 24 mil escolas no campo brasileiro. Como pauta emergencial, queremos a abertura de 350 escolas”, afirmou Cristina Vargas, do Setor de Educação do MST.

    O ministro da Educação, Fernando Haddad, recebeu uma comissão de crianças Sem Terrinha. As crianças descreveram para o ministro as dificuldades que enfrentam para estudar, como se deslocar para escolas nas cidades, pediram medidas do governo para impedir o fechamento de escolas e a construção de novas unidades no campo.

    A Via Campesina levou como reivindicações ao MEC a proibição do fechamento de escolas, uma campanha de superação do analfabetismo em forma de mutirão, abertura de 30 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifet) rurais, financiamento para licenciaturas em Educação do Campo,

    Os movimentos do campo manifestaram também apoio à campanha do movimento educacional pela destinação de 10% do Produto Interno Bruto para Educação.

    Nos últimos oito anos, mais de 24 mil foram fechadas no meio rural, segundo dados do Censo Escolar do INEP/MEC (2002 a 2009), e da Pesquisa de Avaliação da Qualidade dos Assentamentos da Reforma Agrária INCRA (2010).

    Audiências

    Os militantes da Via Campesina realizaram um ato em frente ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), que também recebeu a organização em audiência.

    Ao longo de todo o dia, a Via Campesina foi recebida por órgão do governo federal, como os ministérios da Agricultura, do Meio Ambiente, do Esporte e da Comunicação, Anvisa, Secretaria de Juventude, entre outros.

    O retorno às pautas reivindicadas deverá acontecer somente nesta sexta-feira (26), de maneira centralizada pelo Palácio do Planalto.

    As principais pautas em negociação referem-se ao assentamento imediato das 60 mil famílias acampadas, a recomposição do orçamento do Incra para obtenção terras e a renegociação das dívidas da agricultura familiar, composta em R$ 30 bilhões.
     
    O Acampamento Nacional da Via Campesina ocorre desde segunda-feira (22) em Brasília e não tem data para acabar. A organização irá esperar as respostas do governo para decidir o término da mobilização.

    Retirado de: http://www.mst.org.br/node/12374