Posts Tagged ‘projeto de extensão’

  • Cultura Ambiental na Educação do Campo

    Date: 2017.12.05 | Category: CECMundoRural | Response: 10

    Milho Cunha, Sr. Gonçalves, Jacuí/MG. Foto: Oliver Blanco

    Esta área é para postagem da prática final do conteúdo do projeto, desenvolvido em 2017, que visa à inclusão produtiva da juventude rural e a consolidação de redes socioeconômicas da agricultura familiar no âmbito dos territórios rurais, especialmente da região noroeste paulista, considerando as práticas da economia solidária. O projeto procurou desenvolver ações de inclusão produtiva e de agricultura familiar, com vistas à participação da juventude rural e fortalecimento das suas organizações econômicas, contribuindo para a inclusão produtiva e para o desenvolvimento sustentável e solidário do território, em nosso caso, o “território caipira” (Cf. Villela, 2016). A partir dessas duas razões iniciais, desdobram-se outras, quais sejam: a construção de territórios com identidade territorial que favoreça a valorização de produtos locais no mercado, associada a uma perspectiva de desenvolvimento sustentável, envolvendo tanto a abordagem econômica, como a social, ecológica, cultural e política. O projeto procurou combater a exclusão social através da valorização de produtos identificados com o “território caipira” e relacionados ao estabelecimento da formação da identidade local e também o desenvolvimento territorial com base na identidade cultural, com o enfoque da equidade social. Bom trabalho, Prof. Fábio Villela.

    VILLELA, Fábio Fernandes. Cultura ambiental no território caipira: história e saberes tradicionais das mulheres do noroeste paulista. Retratos de Assentamentos. v. 19, p. 323 – 350, 2016. Disponível em: < http://www.uniara.com.br/nupedor/revista-retratos >. Acesso em 21 jan. 2017.

  • Seleção de Bolsistas para o Projeto de Extensão: Cultura Ambiental, Território Caipira e Educação do Campo

    Date: 2017.04.03 | Category: CECMundoRural | Response: 0

    Imagem relacionada

    ( Banda O Terço, 1968)

    Bom dia car@s alun@s da Pedagogia / Ibilce/ Unesp! Tudo bem?

    Se você gosta de “rock rural”, tipo Sá, Rodrix & Guarabyra, O Terço, Renato Teixeira, Zé Geraldo, Almir Sater, etc.,  toca um instrumento (violão, viola, guitarra, baixo, bateria, teclado, etc.) e gosta de cantar, venha participar do projeto com adolescentes em situação de vulnerabilidade social intitulado: “Cultura Ambiental no Território Caipira”, vinculado aos Núcleos de Ensino da Unesp. (O interessado deve ter duas tardes disponíveis ).

    O Prof. Dr. Fábio Fernandes Villela seleciona bolsistas para atuar no projeto de extensão: “Cultura Ambiental, Território Caipira e Educação do Campo: Trabalhando com a Juventude Rural do Noroeste Paulista na Escola“.

    • Este projeto tem por objetivo desenvolver tópicos da área de Geografia, em interface com Música, para alunos do Ensino Fundamental, regularmente matriculados em uma escola de meio rural de São José do Rio Preto – SP, através de projeto de trabalho voltado para a inclusão produtiva da juventude e a consolidação de redes socioeconômicas da agricultura familiar. Será utilizada como metodologia o blog de aula Centro Virtual de Estudos e Culturas do Mundo Rural. Essa ferramenta foi desenvolvida como recurso didático e ferramenta no ensino para os alunos do curso de pedagogia da Unesp de São José do Rio Preto (SP), e estendido, posteriormente, para escolas que manifestaram interesse em desenvolver tópicos da área de Ciências Humanas e suas Tecnologias. O projeto pretende difundir o conhecimento gerado na universidade através do desenvolvimento de tópicos da área de Geografia e da publicação digital de conteúdo, propiciando uma interação com outras instituições públicas de ensino, tendo uma relevância social na medida em que os alunos beneficiários da proposta, em geral, tem pouco acesso ao conhecimento gerado na universidade pública.

    Para se inscrever o aluno deve entregar na Secretaria do Departamento de Educação:

    • Formulário de solicitação de bolsa preenchido, disponível em:

    http://www.ibilce.unesp.br/#!/administracao/secao-tecnica-academica/projetos-de-extensao/bolsas-de-extensao/

    • Xerox do RG e CPF

    • Histórico escolar e Lattes atualizado

    OBSERVAÇÕES:

    1. Período de Inscrição: 03 de abril a 14 de abril 2017.

    2. A bolsa concedida é de Apoio Acadêmico e Extensão II (BAAE-II).

    3. O bolsista deve, necessariamente, possuir/abrir conta bancária no Banco do Brasil

    4. A vigência da bolsa será de abril a dezembro de 2017.

    5. Início das atividades: Abril de 2017.

    6. O aluno deve ter disponibilidade de horário no período da tarde (duas tardes).

    Ω – Veja o documentário sobre o projeto de extensão no Youtube:

    https://www.youtube.com/watch?v=a3eYOhobHD8&t=20s

  • Congresso de Formação de Professores: de 11 a 13 Abril de 2016

    Date: 2016.04.10 | Category: CECMundoRural | Response: 0

    (O Homem do Futuro, 1933, Paul Klee).

    Bom dia Amig@s do Mundo Rural! Tudo bem?

    Convido a tod@s para o  III Congresso Nacional de Formação de Professores (CNFP) e o XIII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores (CEPFE) que serão realizados em Águas de Lindóia/SP, no período de 11 a 13 de abril de 2016. O tema central é “Profissão de Professor: cenários, tensões e perspectivas”.  A realização é da Pró-reitoria de Graduação da Unesp. Destaco o minicurso sobre este blog de aula Centro Virtual de Estudos e Culturas do Mundo Rural, especialmente utilizado para desenvolver tópicos da área de educação cooperativa para alunos, em situação de bullying escolar, regularmente matriculados em escolas de São José do Rio Preto – SP.

    Website do congresso:

    http://www.geci.ibilce.unesp.br/logica_de_aplicacao/site/index_1.jsp?id_evento=64

    Saudações, Prof. Fábio Villela.

  • Núcleo Negro da UNESP para Pesquisa e Extensão – NUPE

    Date: 2015.10.18 | Category: CECMundoRural | Response: 0

    Boa noite amig@s! Tudo bem?

    Hoje apresento para vcs o Projeto Núcleo Negro da UNESP para Pesquisa e Extensão – NUPE. O núcleo tem em vista desenvolver e estimular atividades de extensão e de pesquisa na UNESP sobre temas atinentes à questão do negro, inclusive em cooperação com outras instituições. O NUPE congrega professores, pesquisadores e alunos da UNESP envolvidos ou interessados em desenvolver pesquisas acadêmicas e atividades de extensão voltadas à questões do negro e/ou que possam subsidiar o pensamento e a discussão dessa temática. O NUPE se vincula à Pró-Reitoria de Extensão Universitária – PROEX.

    São objetivos gerais do NUPE: (1) estimular o trabalho cooperativo, na perspectiva da integração das Unidades unespianas; (2) estimular o estabelecimento de acordos com outras instituições, universidades públicas e privadas, organizações não governamentais e entidades afins, mantendo sempre sua finalidade acadêmica de pesquisa e extensão; (3) facilitar o acesso dos pesquisadores à produção científica no âmbito acadêmico e fora dele sobre a temática do negro; (4) internalizar na UNESP o estudo, a pesquisa e o debate sobre a temática do negro; (5) desenvolver mecanismos de divulgação e difusão da produção e experiência do NUPE; (5) promover o intercâmbio de âmbito nacional e internacional com outras instituições visando ao desenvolvimento do NUPE.

    São objetivos específicos do NUPE: (1) gerar conhecimento novo e relevante sobre questões relativas ao negro;(2) implantar e manter banco de dados temático; (3) divulgar por meio de publicações, eventos e internet os conhecimentos e os dados gerados ou disponíveis em decorrência do Projeto; (4) captar recursos financeiros com o desenvolvimento de pesquisa e extensão próprias, bem como administrá-los.

    O Grupo de Trabalho da UNESP de  São José do Rio Preto é constituído pelos seguintes integrantes: Alecssandro Andrade Rodrigues; Alex da Silva Cardoso; Ana Maria Klein (Coordenadora do GT – Departamento de Educação – Ibilce – Unesp – S. J. Rio Preto), Andreia Cristina Fidelis; Aparecida Saturnino M. Romero; Cláudia Maria Ceneviva Nigro; Daniela Carla Negrini; Davi Souza; Fabio Fernandes Villela; Fernanda Motta de Paula Resende; Humberto Perinelli Neto; Ivan dos Reis Miranda; Lauro Amorim; Luana Passos; Marcos Serzedello; Monica Abrantes Galindo; Regina Aparecida da Silva.

    Maiores informações entrar em contato através do e-mail: fabio@fabiofernandesvillela.pro.br

  • Conflito e Violência como Novos Espaços de Educação

    Date: 2015.05.05 | Category: CECMundoRural | Response: 82

    Querid@s alun@s, bom dia!

    O conflito e a violência, conforme aponta Petrus (2003, p. 65 – 80), manifesta-se no ambiente escolar através de diversas práticas como, por exemplo, o “bullying”. A partir dos textos propostos no módulo 2, comente as possíveis relações entre a violência, o bullying e as possíveis intervenções para resolução do problema, do ponto de vista das possibilidades de formação omnilateral. Como atividade complementar, os alunos podem assistir os filmes listados abaixo, disponíveis no Youtube, sobre a temática do Bullying. Saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela

    Bullying: provocações sem limites:

    https://www.youtube.com/watch?v=B7QHyQsvvlQ

    Bullying: é hora de tomar uma atitude:

    https://www.youtube.com/watch?v=3xdQprk_InI

  • Chega de Bullying: Não Fique Calado!

    Date: 2015.05.03 | Category: CECMundoRural | Response: 12

    Bom dia amig@s do mundo rural!

    Nosso projeto Educação Cooperativa e Novas Tecnologias: Projeto de Prevenção ao Bullying Escolar entre Jovens de Escolas de Meio Rural através do Uso de Novas Mídias Sociais participa da campanha: Chega de bullying: não fique calado! Incentivamos a tod@s a baixar a apostila disponível no website da campanha. Saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela.

    Apostila: “Chega de bullying: não fique calado!”

    Nesta apostila são descritas situações que acontecem com meninos e meninas como você e seus amigos e amigas. Certamente, a maioria das coisas é legal e divertida, mas, às vezes, pode haver situações com colegas que não são agradáveis. E mais, que podem ser muito tristes e prejudiciais.

    Por isso, aqui propomos pensar juntos sobre um problema grave, para o qual temos que dizer CHEGA. Esse problema é o bullying.

    Talvez você não conheça essa palavra, mas temos certeza de que poderá reconhecer rapidamente do que se trata depois de ler esta apostila.

    Você e seus colegas poderão completar atividades e participar de jogos que ajudarão a entender bem o que significa incomodar, perseguir, ameaçar ou discriminar alguém, e como se sentem as pessoas que participam dessas situações.

    O programa CHEGA DE BULLYING quer ajudá-lo a pensar sobre o assunto. Conhecer o tema permitirá encontrar novas soluções para um problema que afeta milhões de meninos e meninas. Os adultos próximos a você também devem participar da prevenção e ajudar para que o bullying não ocorra.

    Se você não sabe, é muito importante considerar que todos os meninos e meninas têm direito de ser quem são. Esses direitos estão escritos na Convenção sobre os Direitos da Criança, um tratado internacional do qual fazem parte todos os países e governos da América Latina.

    Esse documento diz que todos os meninos e meninas devem ser protegidos e não discriminados, nem sequer por outros meninos e meninas.

    Por isso, o convidamos a conhecer um pouco mais sobre algumas situações que podem afetar você ou seus colegas. É importante estar informado para poder participar e dar sua opinião sobre tudo o que diz respeito a você e aos que o rodeiam.

    JUNTE-SE A NÓS!

    Website com a apostila: http://chegadebullying.com.br/

  • 3º Seminário O Trabalho no Século XXI: Educação, Trabalho e Saúde no Campo e 1º Seminário de Educação do Campo da Unesp de São José do Rio Preto – SP

    Date: 2014.02.23 | Category: CECMundoRural | Response: 0

    Bom dia car@s amig@s do mundo rural! Tudo bem?

    Gostaria de convidar a tod@s para 0 3º Seminário O Trabalho no Século XXI: Educação, Trabalho e Saúde no Campo e 1º Seminário de Educação do Campo da Unesp de São José do Rio Preto – SP. Website do evento: http://www.fabiofernandesvillela.pro.br/eventos/seminario-trabalhador-2014/home

    Os seminários tem por objetivos: promover o debate de trabalhos e pesquisas que tenham como temática: a Educação, o Trabalho e a Saúde no Campo. Fomentar o debate entre a comunidade acadêmica, organismos governamentais e representantes da sociedade civil a respeito das condições de educação, trabalho e saúde no campo. Público alvo: professores, pesquisadores e estudantes que trabalham e/ou estudam problemas relacionados à temática geral do seminário, representantes sindicais, profissionais da área e demais interessados.

    Até lá! Prof. Fábio Fernandes Villela.

  • 17 de Abril: Dia Internacional de Luta pela Terra

    Date: 2012.04.18 | Category: CECMundoRural | Response: 0

    (Fotografia do Livro “Terra” de Sebastião Salgado, José Saramago e Chico Buarque).

    Quando eu morrer / Cansado de guerra / Morro de bem / Com a minha terra:

    Cana, caqui / Inhame, abóbora / Onde só vento se semeava outrora

    Amplidão, nação, sertão sem fim / Ó Manuel, Miguilim / Vamos embora

    (Chico Buarque – Assentamento)

    “Morrer de bem com a minha terra”. Infelizmente, muitos sem-terra já morreram sem ter uma terra que possam chamar de sua. O massacre de Eldorado dos Carajás, ocorrido em 1996, na BR 155, sul do Pará, no qual 155 policiais militares utilizaram armas de fogo contra 1500 Sem Terras, entre os quais mulheres e crianças.

    A ação da PM assassinou 19 camponeses e expôs para todo o país a questão da violência no campo contra aqueles que lutam pela Reforma Agrária. Até hoje, ninguém foi punido pelo massacre, e os sobreviventes, mutilados tanto física quanto psicologicamente, continuam sem receber a devida assistência médica.

    Em 2002, o então presidente Fernando Henrique Cardoso reconheceu o dia 17 de abril como o Dia Internacional de Luta pela Terra. O MST realiza durante o mês de abril jornadas de lutas, com ocupações, marchas e atos pelo país inteiro, para pressionar o governo a priorizar a pauta da Reforma Agrária e honrar a memória daqueles que perderam suas vidas na luta pela terra.

    “Nosso dia de lutas surgiu infelizmente por causa de Eldorado dos Carajás. O latifúndio é inerentemente violento e impede as pessoas de viver e trabalhar no Campo. O que ocorreu em Carajás nos dá força e clareza para lutar, pois enquanto houver latifúndio, a desigualdade, violência e falta de democracia no Campo vão continuar”, acredita Jaime Amorim, dirigente do MST em Pernambuco.

    Para Dom Tomás Balduíno, Bispo emérito de Goiás co-fundador da Comissão Pastoral da Terra (CPT), “esse dia lembra a força da caminhada dos trabalhadores do Campo, que se arrasta desde Zumbi dos Palmares até hoje na história do Brasil. A luta pela Reforma Agrária não é questão de conseguir apenas um pedaço de chão, mas de mudar nosso país. A luta é profunda, ampla e de mudanças”.

    A terra está ali, diante dos olhos e dos braços, uma imensa metade de um país imenso, mas aquela gente (quantas pessoas ao todo? 15 milhões? mais ainda?) não pode lá entrar para trabalhar, para viver com a dignidade simples que só o trabalho pode conferir, porque os voracíssimos descendentes daqueles homens que primeiro haviam dito: “Esta terra é minha”, e encontraram semelhantes seus bastante ingênuos para acreditar que era suficiente tê-lo dito, esses rodearam a terra de leis que os protegem, de polícias que os guardam, de governos que os representam e defendem, de pistoleiros pagos para matar. (José Saramago)

    Dezesseis anos depois do massacre, os conflitos no campo continuam; neste ano, três membros do MLST foram assassinados em Minas Gerais. Já em Pernanbuco, outros dois companheiros do MST foram tombados por balas de pistoleiros nos últimos dias.

    Jaime acredita que hoje a violência contra os assentados está mais seletiva. “Temos dois tipos de violência: a primeira, perpetrada por grandes grupos de fazendeiros atacando lideranças locais, como aconteceu este ano. A segunda é a violência do Estado, que se utiliza do aparato jurídico para impedir as pessoas de olhar para frente e enxergar a perspectiva de uma Reforma Agrária concreta. O fato de que temos muitos acampamentos que já duram 10, 15 anos pela desapropriação do Estado é por si só uma violência”.

    Dom Tomás afirma que esta violência ocorre porque “o poder público nega sistematicamente a Reforma Agrária, apoiando o discurso dos grandes fazendeiros e empresas de que ‘o agronegócio é o modelo do progresso’. Tudo que se opõe a este suposto progresso, segundo essa lógica, são obstáculos que devem ser removidos”.

    Aliado a isso está o papel da mídia, cujas informações refletem os interesses das elites alinhadas com o agronegócio. “A imprensa mudou sua postura: antigamente ela criminalizava os movimentos e desqualificava a luta e as lideranças. Hoje, ela tenta ignorar as lutas sociais de sua agenda, e a população, sem informação, se afasta do tema, formulando ideias de que o movimento está desmobilizado ou que a luta pela Reforma Agrária não é mais importante”, analisa o dirigente do MST.

    E se, de repente / A gente não sentisse / A dor que a gente finge / E sente

    Se, de repente / A gente distraísse / O ferro do suplício / Ao som de uma canção

    Então, eu te convidaria / Pra uma fantasia / Do meu violão

    (Chico Buarque – Fantasia)

    Para que a Reforma Agrária torne-se realidade e a felicidade deixe de ser uma fantasia, é preciso lutar. Jaime afirma que “estamos animados para a jornada de lutas deste ano, pois ela vai ser uma demarcação de força. Estamos construindo uma unidade maior entre unidades e movimentos do campo, pois todos nós temos sido agredidos pelo mesmo aparato. Temos que nos unir para soltar um grande grito pela Reforma Agrária e contra o latifúndio”.

    O rio de camponeses se põe novamente em movimento; foices, enxadas e bandeiras se erguem na avalanche incontida das esperanças nesse reencontro com a vida – e o grito reprimido do povo sem-terra ecoa uníssono na claridade do novo dia: “REFORMA AGRÁRIA, UMA LUTA DE TODOS!” (Sebastião Salgado)”

    Terra, 15 anos

    Os trechos em negrito e a foto desta matéria foram retirados do livro Terra, que foi lança há 15 anos. O livro é composto por fotos do fotógrafo Sebastião Salgado sobre a vida dos indígenas e camponeses em um país cuja terra não lhes pertence mais. O prefácio é do escritor José Saramago, e as músicas de Chico Buarque, cujo CD acompanha a obra. Os três juntos constituem a Coleção Terra, criada em 1997. Para Dom Tomás, a arte com foco político se faz fundamental, pois “o povo que luta também celebra, canta, faz seus repentes e trovas. A caminhada do povo é poética, inspirada na mística e profética”.

    Jaime avalia que “o MST sempre produziu muito culturalmente, e isto serve de inspiração para quem acompanha o Movimento de fora, como artistas famosos, apoiarem o movimento. Mas os momentos onde a arte está mais próxima da luta política são os momentos de maior mobilização. Arte, cultura e educação caminham lado a lado no movimento”.

    Reelaborado a partir de José Coutinho Júnior da Página do MST.

  • Excursão Didática: Conhecendo a Vida Rural e as Lutas pela Reforma Agrária: uma Vivência com Assentados e Acampados em Promissão – SP

    Date: 2012.04.13 | Category: CECMundoRural | Response: 0

    Bom Dia Caros Alunos! Tudo bem?

    Gostaria de convidar a tod@s para a excursão didática para o Assentamento de Promissão – SP. A atividade se chama “Conhecendo a Vida Rural e as Lutas pela Reforma Agrária: uma Vivência com Assentados e Acampados em Promissão – SP”. Será dia: 06-05 (domingo) de 2012 das 7h as 17h. Carga Horária: 10h (Obs. Fazer relatório pois conta como AACCs e vale 2 créditos. E preparação para as atividades da disciplina “Trabalho e Educação” no 2º Semestre).

    Inscrições no Caped – Centro Acadêmico da Pedagogia “Wilson Cantoni” (nome completo e RG).

    Haverá uma prioridade para a seleção dos alunos que irão na viagem:  4º ano, 3º ano, 2º ano, 1º ano de Pedagogia, demais interessados.

    O que o aluno deve levar: dinheiro para almoço (R$5,00), produtos para a “Feira da Troca” (produtos  de limpeza, higiene pessoal, roupas, etc.  para serem trocados com produtos do Assentamento).

    Saída: 7h:30min., em frente ao IBILCE e retorno as 16h:30min.

    Maiores informações: Prof. Fábio Villela (e-mail: fabio@fabiofernandesvillela.pro.br)

    Até lá, saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela.

  • Blog de Aula – Mutirão de Sociologia no Programa “Nosso Campo” da TV TEM

    Date: 2011.12.06 | Category: CECMundoRural | Response: 2

    Bom Dia Amigos do Mundo Rural! Tudo bem?

    Gostaria de partilhar com todos que nosso Projeto de Extensão, desenvolvido no Distrito de Talhado em São José do Rio Preto – SP – Brasil, foi apresentado no Programa “Nosso Campo” da TV TEM.  O objetivo central do projeto, em 2011, foi desenvolver tópicos da área de Ciências Humanas e suas Tecnologias, através do Blog de Aula – Mutirão de Sociologia, para alunos que manifestarem interesse, regularmente matriculados, na escola pública Prof. Dr. João Deoclésio da Silva Ramos, situada no distrito de Talhado, em São José do Rio Preto (SP), de forma experimental, e depois estender a experiência para outras escolas estaduais que tiverem interesse. Vc podem assistir a reportagem através do link abaixo.

    Saudações, Prof. Fábio Fernandes Villela.

    Blog de Aula – Mutirão de Sociologia no Programa “Nosso Campo” da TV TEM:

    http://www.temmais.com/nossocampo/interna_detalhe.aspx?editoria_id=6371&menu_id=33

    Blog de Aula – Mutirão de Sociologia:

    http://www.mutiraodesociologia.com.br/

Nuvem de tags

arte naif arte primitiva moderna assentamento assentamento reunidas assentamentos de reforma agrária campanha fechar escola é crime campanha permanente contra o uso de agrotóxicos e pela vida centro de estudos e culturas do mundo rural cooperativismo educar a cidade educação básica educação cooperativa educação cooperativa e novas tecnologias educação do campo educação patrimonial enff fome fábio fernandes villela fábio villela ibilce insegurança alimentar mst mundo rural música caipira música sertaneja orgulho caipira patrimônio agroindustrial patrimônio histórico pedagogia da viola pedagogia da viola caipira prevenção ao bullying escolar proex projeto de extensão promissão - sp reforma agrária rio preto rio preto - sp segurança alimentar sociologia da educação sociologia rural são josé do rio preto - sp trabalho e educação trabalho no século xxi unesp viola caipira

Categorias

Agenda

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Lista de Links

Tópicos recentes

Pesquisar