• O legendário LP “Caipira, raízes e frutos”

    Date: 2012.07.21 | Category: CECMundoRural | Tags:

    Bom Dia Amigos do Mundo Rural! Tudo bem?

    Em 1990, para aproveitar o sucesso que “Triste Berrante”, de Adauto Santos ganhou ao ser incluída na trilha de “Pantanal”, o Estúdio Eldorado relançou o excelente álbum duplo “Caipira – raízes e frutos”, que Aluízio Falcão, quando diretor artístico daquele selo do grupo “O Estado de São Paulo”, produziu em 1980. Um dos mais competentes estudiosos de nossa música popular, Aluízio, após ter sido o responsável pelo que de melhor o publicitário Marcos Pereira (1930-1980) lançou pela sua etiqueta, desenvolveu no Estúdio Eldorado um excelente catálogo com projetos audaciosos. Um deles foi, justamente este “Caipira”, montando num elepê aquilo que chamou de “Raízes”, e no segundo como “Frutos”, estabelecendo a evolução do cancioneiro rural. Assim, nas “Raízes” foram colocados desde a moda de viola “Situação Encrencada” que Cornélio Pires (1888-1958) gravou em 1929, dando início a chamada música sertaneja (em registros fonograma) a momentos marcantes da obra de duplas como Zé Carreiro/Carreirinho (depois Tião Carreiro/Carreirinho), Palmeira (Diogo Mulero, 1918-1967) e Teddy Vieira (1922-1965), para só citar alguns exemplos.  Já no volume “Frutos”, estão exemplos de uma segunda/terceira geração de artistas e autores que foram buscar no meio rural a inspiração para sua obra, como o já citado Adauto Santos, Toninho Café, Tavinho Moura/Murilo Antunes (“O Trem Tá Feito”), Zé Geraldo (“Reciclagem”), Renato Teixeira (“Romaria”), Vandré (“Disparada”) e até Chico Buarque (“Se eu fosse teu patrão”) e Milton Nascimento/Fernando Brandt (“Ponta de Areia”). Com excelentes interpretações, buscadas em fonogramas de várias etiquetas e enriquecidas por um texto antológico de mestre Antonio Cândido (“O Mundo Caipira”, extraídos do livro “Parceria do Rio Bonito”, Editora Livraria Duas Cidades, 1971), “Caipira – raízes e frutos” é um álbum-documento fundamental, que se constitui em fonte de estudos a quem sabe valorizar a nossa música popular. (Texto reelaborado a partir de A. Millarch).