• Lançamento do novo CD de Almir Sater é esperado para 2011

    Date: 2011.09.25 | Category: CECMundoRural | Tags: ,,,,,,,,,,

    Bom Dia Amigos do Mundo Rural! Tudo bem?

    Lá se vão 5 anos desde o lançamento do CD “7 Sinais” de Almir Sater. 7 Sinais é o décimo álbum do violeiro e compositor Almir Sater. O álbum conta com participações especiais dos sanfoneiros Dominguinhos e Luiz Carlos Borges. Foi lançado em 2006 pela gravadora “Velas”. É aguardado por todos os fãs o novo CD do violeiro, compositor, cantor, instrumentista e ator Almir Eduardo Melke Sater (Campo Grande, 14 de novembro de 1956). Enquanto isso a gente vai matando a saudade com as coisas antigas:

    “Água que correu”:  http://www.youtube.com/watch?v=6z12rQC_F00&feature=related

     Almir Sater nasceu no Mato Grosso do Sul. Desde os doze anos já tocava viola e gostava do mato e sons da natureza; Aos vinte anos mudou-se para o Rio de Janeiro para estudar Direito, mas desistiu da carreira de advogado, tornando-se um músico, motivado inicialmente por escutar no Largo do Machado uma dupla tocando viola caipira . Então dedicou-se ao seu estudo, tendo Tião Carreiro como mestre. Retornou à Campo Grande onde formou a dupla Lupe e Lampião com um amigo, adotando Lupe como nome artístico. Em 1979 foi para São Paulo, onde iniciou um trabalho com sua conterrânea Tetê Espíndola, acompanhando também a cantora Diana Pequeno. Gravou seu primeiro disco em 1980, contando com a participação de Tetê Espíndola, Alzira Espíndola e Paulo Simões. Fez parte da geração Prata da Casa, no início dos anos 80, sendo uma das principais atrações do movimento que juntou os maiores expoentes da música sul-mato-grossense. Seu estilo caracteriza-se pelo experimentalismo e sua música é descrita como folk, agrega uma sonoridade tipicamente caipira da viola de 10 cordas, o folk norte-americano e com influências das culturas fronteiriças do seu estado, como a música paraguaia e andina; e o resultado é único, ao mesmo tempo reflete traços populares e eruditos, despertando atenção de públicos diversos.

    Comitiva Esperança

     Juntamente com o parceiro Paulo Simões, com o maestro e violinista Zé Gomes, o jornalista, crítico e pesquisador Zuza Homem de Mello e do fotógrafo Raimundo Alves Filho, iniciou uma comitiva que explorou o Pantanal, realizando registros fotográficos, pesquisando o modo de vida dos pantaneiros enquanto percorriam o Paiaguás, Nhecolândia, Piquiri, São Lourenço e Abobral. Esse projeto resultou em um documentário coproduzido por Almir Sater e Paulo Simões.

    Carreira na televisão

    Estreou como ator na telenovela Pantanal, de Benedito Ruy Barbosa, pela Rede Manchete em 1990. Na trama, Almir deu muito o que falar por sua interpretação como Trindade, um peão misterioso que afirmava ter um pacto com o demônio. Em 1991 protagonizou, ao lado de Ingra Liberato a novela A História de Ana Raio e Zé Trovão, de Marcos Caruso, pela mesma emissora.

    Paralelamente, Almir estabeleceu ricas parcerias com Renato Teixeira e Paulo Simões criando verdadeiras pérolas do cancioneiro regional-popular. Com Sérgio Reis, o artista fez parcerias somente em novelas.

    Exímio violeiro, seu estilo caracteriza-se pelo experimentalismo, a utilização de diversas afinações diferentes e o resgate da música regional. Suas influências vão de Al Jarreau e Beatles às músicas mineira, andina e caipira/sertaneja tradicionais. Também toca violão e charango. Os personagens vividos pelo ator possuíam essas características, como pode ser visto em O rei do gado, de Benedito Ruy Barbosa, pela Rede Globo, em 1996, onde seu personagem fazia dupla com o personagem de Sérgio Reis, “Pirilampo & Saracura”, tendo gravado, inclusive, músicas na trilha sonora da novela.

    Sua última aparição como ator foi na telenovela Bicho do Mato, de Bosco Brasil e Cristianne Fridman, pela Rede Record, em que interpretava a personagem Mariano. Foi um remake da telenovela homônima, de Chico de Assis e Renato Corrêa e Castro exibida pela Rede Globo em 1972.

    Telenovelas – trabalhos como ator

    Bicho do Mato (2006/2007) – Mariano (Rede Record)

    O Rei do Gado (1996) – Aparício Pirilampo (Rede Globo)

    A História de Ana Raio e Zé Trovão (1991) – Zé Trovão (Rede Manchete)

    Pantanal (1990) – Xeréu Trindade (Rede Manchete)

    Recentemente o artista foi convidado para integrar o elenco da novela global “Cordel Encantado”, mas recusou em virtude de sua extensa agenda de shows e compromissos o ano inteiro.

    Cinema

    Almir Sater participou antes das novelas de dois trabalhos no cinema como ator.

    As Bellas de Billings,[1987].de Ozualdo Candeias como protagonista.

    Caramujo flor [1988] participação no curta metragem de Joel Pizzini.

    Trajetória de Almir Sater

    Com 30 anos de carreira sólida e 10 discos solos gravados, Almir tornou-se um dos responsáveis pelo resgate da viola de 10 cordas, sendo reinventada, acrescentando um toque mais sofisticado ao instrumento, estilos como blues e rock, embalados pela pegada do folk. O seu último CD,7 Sinais, lançado em 2006/07- traz um repertório eclético e inovador e conta com participações especiais dos sanfoneiros Dominguinhos e Luiz Carlos Borges; Sua trajetória musical sempre foi marcada por grandes feitos: -Em 1986, juntamente com o parceiro Paulo Simões, o maestro e violinista Zé Gomes, o jornalista, crítico e pesquisador Zuza Homem de Mello e o fotógrafo Raimundo Alves Filho, iniciaram uma comitiva que explorou o Pantanal, realizando registros fotográficos, pesquisando o modo de vida dos pantaneiros , de maneira poética, da qual resultou em um documentário coproduzido pelo próprio artista e Paulo Simões. -Em 1988,escolhido por unanimidade pela crítica, para participar da abertura do Free Jazz Festival em 1989 ao lado de nomes sagrados da música mundial. -Dono de um talento ímpar e versatilidade, como cantor, compositor, violeiro e instrumentista ímpar, um dos artistas mais completos da música brasileira ,único a cantar em Nashville, USA, no mesmo ano , considerado o berço da música country americana, -Nos anos 90,Almir também ganhou dois prêmios Sharp,(Atual Premio de Musica Brasileira),com as canções: “Moura” (instrumental) como melhor música e instrumentista e “Tocando em Frente”, esta considerada um “hino” da música brasileira. Em (2010),o artista, foi um dos convidados para o especial e gravação do DVD “Emoções Sertanejas”, em homenagem aos 50 anos de carreira de Roberto Carlos. Sua interpretação para a canção, “O Quintal do Vizinho”, contida e suave, recebeu diversos elogios, sendo apontada por vários internautas como a mais bonita apresentação. Além da multiplicidade de talentos, o artista é um defensor e preservacionista do meio ambiente, sempre engajado em projetos de cunho socioambiental, estimulando à conscientização e “atitudes verdes” para a melhoria do planeta bem como a preservação dos costumes do homem pantaneiro. O Músico possui um carisma inexplicável, a sua personalidade simples, faz com que arraste multidões em suas apresentações, sendo um dos artistas mais requisitados, para abrilhantar shows, eventos culturais e corporativos por todo o país.

    Discografia

    Álbuns7 Sinais (2006)

    Caminhos Me Levem (1997)

    Terra de Sonhos (1994)

    Almir Sater Ao Vivo (1992)

    Instrumental 2 (1990)

    Rasta Bonito (1989)

    Cria (1986)

    Instrumental (1985)

    Doma (1982)

    Estradeiro (1981)

    Coletâneas Especiais

    Um violeiro toca (2006)

    Varandas (1990)

    Pantanal – Alerta Brasil (1987)

    Participações

    “Tiago e Juvenal – Os Violeiros de Paraíso”- Dupla Yassir e Rodrigo Sater Som Livre,2009

    Chitãozinho & Xororó – Clássicos Sertanejos (2004)

    Pantanal 2000 (2000)

    Rei do Gado 2 (Trilha sonora da novela Rei do Gado da Rede Globo, 1996)

    A História de Ana Raio e Zé Trovão (trilha sonora da novela na rede Manchete 1991)

    Pantanal (trilha sonora da novela na Rede Manchete, 1990)

    Meu Reino Encantado – Daniel

    Rodrigo Sater

    Prata da Casa (1981)

    Informações retiradas da Wikipedia.